Blog.-1080x675 (1)

A isotretinoína é conhecida pelo nome comercial Roacutan, um potente fármaco indicado para o tratamento de acne severa. É uma alternativa para quem já testou outros tratamentos orais e tópicos, mas ainda continuam sofrendo com acnes que inflamam e deixam marcas.

Considerada extremamente efetivo contra cravos e espinhas, porém é uma droga que deve ser administrada com precauções, devido aos seus múltiplos efeitos colaterais possíveis e ao seu risco de provocar alterações na formação fetal.

As espinhas são habitualmente formadas por um processo que envolve o aumento da produção de sebo (oleosidade) pelas glândulas sebáceas.

A isotretinoína é muito eficaz exatamente por agir diretamente nas causas da acne, provoca contração das glândulas sebáceas e a redução significativa da produção de sebo. Com menos sebo, há menor risco de obstrução dos poros. Após algumas semanas de uso, torna-se nítido a redução do processo inflamatório que dá origem à acne.

Por ser um medicamento considerado eficaz, porém com efeitos colaterais, só costuma ser indicado para os casos mais graves, que não correspondem aos tratamentos convencionais, incluindo o uso de antibiótico.  Em geral, é indicado para os casos de acne nodular, que são os casos de acne com múltiplas espinhas em formatos de nódulos e muito inflamadas.

O Roacutan estimula a pele a expelir o excesso de sebo dentro das glândulas sebáceas. Por isso no início é provável o agravamento da acne, porém após duas ou três semanas o quadro começa a melhorar definitivamente.

É considerado um medicamento que requer acompanhamento, pois é comum ocorrerem alterações em exames laboratoriais (colesterol, triglicerídeos, enzima hepáticas), por isso é preciso monitoramento pelo médico dermatologista. Entre os efeitos colaterais da droga estão o ressecamento dos lábios, pele, mucosa ocular, coceira, descamação da pele.  Bebidas alcóolicas não devem ser ingeridas durante o tratamento, entre outros fatores, pois podem interagir com a medicação e causar danos ao fígado.

Durante algum tempo, pensou-se haver relação do medicamento com depressão, entretanto não há comprovações com esta relação. Pacientes com acne severa são habitualmente mais propensos a desenvolverem depressão, devido aos efeitos estéticos que a acne provoca na juventude a adolescência, períodos em que aparência tem grande efeito social. Quando o tratamento é iniciado com isotretinoína há melhora de sintomas de depressão, segundo os últimos estudos, pois com a melhora das espinhas, muitos pacientes se sentem mais confiantes e com a autoestima menos abalada.

A maioria dos efeitos adversos associados a isotretinoína podem ser controlados sem a interrupção do medicamento, com uso adequado hidratantes labial e corporal, filtro solar, colírios lubrificantes e abstinência ao álcool.

O tratamento deve ser monitorado pelo médico para reduzir o risco de complicações de seus efeitos colaterais.